Branding é muito mais que um logo bonitinho

Branding é muito mais que um logo bonitinho
Peça do Festival de Cannes 2005: Explosão de tropicalidade

Não nos leve a mal o logo ainda é o elemento mais importante do seu marketing, pois é o rosto da empresa. E é por isso que sempre vamos defender um logotipo precisa ser bem desenhado e bem-conceituado. 

Branding ou Gestão de Marca é nada mais nada menos que uma estratégia de marketing e quiçá a mais efetiva que existe. Essa estratégia é usada pelas maiores empresas do mundo há décadas.

Multinacionais como Coca-Cola, Apple, Microsoft, Nestlé ou até mesmo a indústria automobilista utilizam das técnicas de Gestão de Marca.

Seth Goth, especialista de marketing digital e autor de vários livros desse tema, diz que branding “é um conjunto de expectativas, memórias, histórias, e relacionamentos que, juntos, são responsáveis por fazer o consumidor escolher um produto ou serviço em vez de outro”.

Hoje, não basta alugar a imagem de um famoso para fazer um comercial de sua empresa. As pessoas querem se sentir conectadas com a marca e isso é parte de um trabalho de Branding. Mas como fazer isso?

Abaixo, vamos enumerar cinco pontos importantes para iniciar esse processo de branding. Mas lembre-se que esse trabalho precisa ser contínuo e que exige muito trabalho e dedicação para gerar resultados.

1. Tenha uma identidade visual coerente

Contrate um designer profissional. Ele irá te enviar um formulário de briefing, e se for bem preenchido, esse profissional a entenderá melhor o seu negócio podendo te apresentar a melhor opção de logo para sua empresa.

2. Tenha um DNA

Reveja os valores, o propósito e a personalidade que sua marca tem. Se não tiver, crie! Criar os valores da empresa é tão importante quanto traçar metas e esses conceitos precisam ser enraizados na cultura da empresa. Mas para fazer isso você precisará fazer algumas perguntas:

Qual é o motivo da existência da sua empresa? Se você for um profissional autônomo que quer dar um passo além, pergunte aos seus últimos clientes quais foram os motivos que os fizeram contratar os seus serviços. A resposta pode te ajudar a trilhar um caminho.

Se a sua empresa fosse uma pessoa, como ela seria? A marca precisa criar conexão e identidade com o público-alvo. Então pense, pesquise e analise como é o seu público e qual é a linguagem que eles falam. Qual é o tom de voz que a sua marca precisa ter? A linguagem utilizada nas peças de comunicação ou no atendimento precisa estar alinhada ao público-alvo.

3. Relacionamento

Você precisa criar canais de comunicação. Por muitos anos as empresas utilizavam uma linha telefônica, mais conhecida como SAC. E por essa linha eles recebiam feedbacks e sugestões dos seus clientes. Hoje em dia temos facilitadores que são as redes sociais e aplicativos como Whatsapp. Você pode utilizar o seu site para se comunicar com seus clientes também.

4. Alcance valor

Se você já tem uma empresa e está se sentindo estagnado ou em crise, talvez seja a hora de você pensar em mudar o posicionamento da sua marca.

Faça uma pesquisa do que o seu público está precisando e o que ele tem a dizer sobre o serviço ou produto que você oferece.

Analise o resultado dessa pesquisa com o que você tem oferecido atualmente, e, com base nesses dados, faça um reposicionamento de marca.

5. Não tenha medo das mudanças

Várias marcas já fizeram um reposicionamento de marca e tiveram excelentes resultados. Um case de sucesso do reposicionamento de marca é os das Sandálias Havaianas. Hoje, a Havaianas, é uma das maiores indústria de calçados do Brasil e importa produtos para o mundo inteiro.

Deixe uma resposta